? ºC Teresina - PI

Turismo

Melhorar a estrutura de visitação ao Cânion é uma das propostas 28/03/2017 06:56

Prefeito de Castelo irá resgatar o potencial turístico da cidade durante o Cachaça Fest

A ideia do prefeito Magno Soares é melhorar as condições de visitação ao Cânion do Poti, estruturar outros pontos turísticos, investir no treinamento das pessoas envolvidas nos serviços, no tratamento ao cliente por parte dos estabelecimentos comerciais, apoiar a associação de condutores, entre outras medidas para fortalecer o turismo de Castelo do Piauí.

A duas horas e meia da capital, Teresina, o Piauí ‘esconde’ um tesouro natural: o Cânion do rio Poty. Situado entre os estados do Piauí e do Ceará, com 180 quilômetros de extensão e que abrange quatro municípios, ainda é pouco visitado e o turismo, incipiente.

As belas paisagens são exploradas por pessoas que curtem o contato com a natureza bruta. A região tem formações rochosas, inscrições rupestres em baixo relevo e cachoeiras em que se pode praticar esportes radicais como rapel e trekking.

Os paredões de arenito do Cânion, com mais de 40 metros de altura, que acompanham o rio, levaram milhares de anos para serem moldados pela correnteza. O trecho onde a paisagem é mais bela fica entre duas comunidades: Conceição dos Marreiros e Enjeitado, na área rural de Buriti dos Montes. Mas a infraestrutura turística é melhor na vizinha Castelo do Piauí, a cerca de 60 quilômetros – percurso todo em estrada de terra - onde ficam hospedados os visitantes.

Assim, a dica é sair cedinho do hotel para desfrutar das belezas do cânion. “Castelo se tornou a porta de entrada pela estrutura melhor que oferece, com três hotéis e duas pousadas rústicas”, comenta o guia de turismo Antônio Augusto Vasconcelos Júnior, presidente da Condatur (Associação dos Condutores de Turistas e Visitantes de Castelo).

Esse trecho do cânion tem de seis a oito quilômetros e abrange ainda a Cachoeira da Lembrada e gravuras rupestres. O passeio pode ser feito por trilha ou em canoas motorizadas. “São lugares de rara beleza, fantástico pelas suas paisagens, que se assemelham a um cenário cinematográfico. Um lugar para estar em contato com a natureza, relaxar e se afastar da rotina urbana”, define Júnior. 

Natureza e esportes de aventura na Pedra do Castelo

A 20 quilômetros do centro de Castelo do Piauí, mais belezas para se explorar. O cartão postal da cidade é a Pedra do Castelo, uma formação rochosa de arenito com 13 compartimentos interligados, que faz com que se assemelhe muito a um castelo medieval. A pedra do Castelo hoje é um parque municipal com 246 hectares de área, mas ainda não está estruturado para visitação guiada. A dica é contratar um guia em Castelo, de onde partem grupos ou mesmo passeios individuais para explorar os atrativos: a formação rochosa, as trilhas de ecoturismo e as duas cachoeiras das Arraias, com seus 20 metros de queda e perfeita para banho. Segundo Júnior, nas cachoeiras é possível praticar esportes de aventura como rapel, tirolesa e escalada. “Mas é preciso contratar antes com os guias, porque só é realizado quando há grupos grandes”, ressalta.

Paulo Barros / Divulgação
A pacata Castelo do Piauí tem entorno de 20 mil habitantes, três hotéis e duas pousadas

Em julho é realizada o Cachaça Fest

Mesmo pacata e ainda se estruturando para o turismo, a gastronomia de Castelo do Piauí já é um ponto forte. “Tem restaurantes com a boa comida típica, com base na galinha caipira misturada com arroz - o famoso Maria Isabel de galinha caipira ou galinha mergulhada”, cita Júnior.

A cidade sedia há 11 anos o Cachaça Fest, realizado sempre no último final de semana de julho. “O evento tornou Castelo conhecida como a capital da cachaça do Estado. Temos a Cachaça Mangueira, que completa 60 anos em 2017 e é considerada o uísque de luxo do Piauí e mantém até hoje o processo de fabricação artesanal”, diz o guia.

O festival envolve turismo, artesanato, cultura e gastronomia na Praça Aloísio Lima e conta com 40 barracas. Além de atrações musicais, de grupos folclóricos e shows de grandes artistas nacionais. Durante os três dias do evento a população de Castelo – de 22 mil habitantes - chega a dobrar.

O prefeito Magno Soares pretende dar uma nova roupagem para o evento, resgatando a proposta inicial que era promover o turismo e outras potencialidades do município, declarou o secretário de turismo, lazer, esporte e Juventude, Anderson Lima, que esteve acompanhando o prefeito Magno na capital Teresina em visita ao SEBRAE na última quarta-feira (22), justamente tratando desse novo formato que será implantado na décima terceira edição do Cachaça Fest.

Outra aposta para o Cachaça Fest é o estímulo a um novo esporte que vem se expandindo muito que é o cicloturismo. Recentemente a cidade recebeu a visita de um ciclista paraense que ficou encantado com a potencialidade do município, que segundo ele, reúne todas as condições para ser a primeira cidade do Piauí com uma ciclovia turística com grande potencial para atrair ciclistas de várias regiões do Brasil e até de fora do País, trazendo divisas e elevando o nome da cidade.

Picos do André

Outro atrativo do entorno, a meia hora de Castelo, são os Picos do André, onde está o maior dos sítios arqueológicos do Estado, dos mais de 50 catalogados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Segundo o guia, muitos estudantes e pesquisadores visitam o local para ver as formações rochosas em forma de pico e os complexos de sítios como o Ninho do Urubu, Pedra Furada dos Picos e o Salão dos Índios. “Além de conhecer a origem da humanidade devido aos muitos vestígios do homem primitivo, ao final se faz uma trilha de 1km para se chegar ao Mirante das Tartarugas, do qual se tem uma bela vista de 360 graus da região e se pode admirar um belo pôr do sol”, descreve Júnior.

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo