? ºC Teresina - PI

Cachaça Fest

28/07/2014 13:29

Cachaça Fest divulga produção artesanal da rapadura e de outros derivados da cana-de-açúcar

O município de Castelo do Piauí, localizado a 190 quilômetros de Teresina, há 10 anos se tornou um polo atrativo para turistas do Piauí e de todo Brasil durante a realização do festival cultural Cachaça Fest. Além de apresentações de bandas regional e nacionalmente conhecidas, feira de artesanato e turismo ecológico, o evento também promove a divulgação do modo de fabricação da rapadura e de outras delícias derivadas da cana-de-açúcar.
Imagem: CCOM-PI   (Imagem:CCOM-PI)
Os turistas só precisam se deslocar até o engenho de fabricação da rapadura e dos derivados do caldo de cana, situado na localidade Cruz, na fábrica da Cachaça Mangueira, a seis quilômetros da sede do município. Por meio de um processo totalmente artesanal são fabricados mel, rapadura, o fininhou ou alfenim, a batida, o tijolinho, entre outros doces, todos originários do caldo de cana.

Afonso de Sousa Silva, no auge dos seus 76 anos, domina todo o processo de fabricação das delícias advindas da cana-de-açúcar. Considerado Mestre da Rapadura, o senhor parece não se cansar enquanto participa de todos os processos da lida com o caldo de cana. “É uma coisa que amo fazer e que faço há muito tempo. A nossa satisfação é ver que todo mundo que experimenta, gosta”, conta.
Imagem: CCOM-PI   (Imagem:CCOM-PI)
O processo de produção da rapadura é bem segmentado. Após colher a cana, o sumo da planta, conhecido como caldo ou garapa, é extraído através do processo de moagem. O líquido segue para a caldeira onde passará por um processo de fervura para serem eliminadas as impurezas. Ao ser questionado por quanto tempo o caldo de cana deve permanecer em fervura até ser transferido para o tacho principal, o senhor Afonso responde com a sabedoria de quem conhece o que faz. “A gente sabe do ponto pelo olho. É olhar e ver que a cana já quer virar mel”, explica.
Imagem: Juscel ReisGarapa de cana no processo de fervura para fabricação de doces(Imagem:Juscel Reis)Garapa de cana no processo de fervura para fabricação de doces
Já no tacho, a garapa começa a ganhar ainda mais consistência e torna-se um mel de cor escura, que finalmente é levado a gameleira, onde se distribui em forma de rapadura, alfenim ou demais doces. Para cada doce, é exigido um processo diferente de preparo final. Enquanto a rapadura descansa em formas preparadas, o alfenim tem que ser insistentemente trabalhado pelas mãos das trabalhadoras.
Imagem: CCOM-PI   (Imagem:CCOM-PI)
As primas Chaguinha Rodrigues, 48 anos, e Maria de Lourdes, 55 anos, conhecem bem o ofício. “É um trabalho cansativo, mas bem bonito de fazer. O ponto ideal é quando a massa fica bem branquinha. Aí já está pronta para o público saborear”, ensina Maria de Lourdes. O alfenim ou fininho ganha forma de buque de flores pelas mãos das mulheres da região.
Imagem: Juscel ReisProcesso de produção do alfenim(Imagem:Juscel Reis)Processo de produção do alfenim
Todos os processos de produção da rapadura ou de outros derivados devem ser extremamente respeitados. Assim, passo a passo, o resultado final é o um dos doces mais apreciados por milhares de piauienses. A rapadura de Castelo do Piauí conquista o público pelo processo e sabor inconfundíveis.
Imagem: Juscel ReisAlfenim, produto da cana-de-açúcar(Imagem:Juscel Reis)Alfenim, produto da cana-de-açúcar

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo